Opinião

Pequenos negócios e Covid-19

Artigo do superintendente do Sebrae/CE, Joaquim Cartaxo, publicado na edição do dia 26 de março no Jornal O Povo

Apandemia do Covid-19 ameaça em proporções gigantescas governos, setores produtivos e a sociedade mundial. Estamos diante de desafios imensos e globais. O maior deles é o de conter o avanço da doença em nosso território e garantir a vida de todas e todos. Por isso, iniciativas governamentais, dos setores produtivos e da sociedade civil no sentido de conter a propagação do coronavírus e preservar a vida dos brasileiros são louváveis. Mirando o que está ocorrendo em outros países, a gravidade da situação, agora, requer ações radicais que garantam a vida das pessoas: em outras cidades do mundo, o isolamento social tem sido eficaz, contribuindo para reduzir a disseminação do vírus.

Outro desafio diz respeito às atividades econômicas; de modo especial os pequenos negócios, que em sua maioria realizam atividades intensivas de atendimento ao público: bares, restaurantes, hotéis e pousadas, salões de beleza, armarinhos, comércios, feiras, profissionais da economia criativa, entre outros. Pequenos negócios que, correspondem a 99% do total das empresas formalizadas no País, são os mais vulneráveis à crise-coronavírus.

Garantir a sobrevivência dos pequenos negócios é também garantir o emprego e a renda de milhões de brasileiros e suas famílias, que sem o devido amparo ficarão ainda mais vulneráveis para atravessar o atual momento. Medidas como prorrogação do prazo para pagamento de tributos, empréstimos bancários, fornecedores e tarifas de concessionárias e a liberação de linhas de crédito em condições especiais são extremamente oportunas e necessárias para ajudar os pequenos negócios a enfrentarem este momento.

Ganha importância ainda o movimento da sociedade que incentiva o consumo dos pequenos negócios. Em suas compras, privilegie os produtos de mercadinhos, restaurantes, serviços e comércios locais, por exemplo. Além disso, divulgue os pequenos negócios em suas redes sociais.

Em todo o País, o Sebrae incrementa o suporte aos pequenos negócios por meio das suas redes socioeconômicas e canais digitais que disponibilizam orientações para auxiliar os empreendedores, aflitos com a necessidade de pagar salários e fornecedores sem faturamento e, ao mesmo tempo, precisam contribuir para que empregador e empregados não sejam contaminados pelo coronavírus.

Joaquim Cartaxo- arquiteto urbanista e superintendente do Sebrae/CE