Caged

Pequenos negócios foram responsáveis por 80% dos empregos gerados no Ceará em fevereiro

No acumulado do ano, as micro e pequenas empresas geraram um número de empregos 5,3 vezes maior do que as médias e grandes empresas

As micro e pequenas empresas cearenses foram responsáveis por um saldo positivo de 9.961 empregos durante o mês de fevereiro. O número corresponde a 80,7% do saldo total de empregos do estado no mês e também colocam o Ceará como o segundo do Nordeste em saldo de empregos. Estes dados fazem parte de um levantamento feito pelo Sebrae com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia.

No acumulado dos meses de janeiro e fevereiro, os pequenos negócios cearenses foram responsáveis pela geração de 16.893 empregos, número 5,3 vezes maior do que o saldo de empregos das médias e grandes empresas do estado. O saldo das micro e pequenas empresas também equivale a 83,5% de todos os empregos gerados no Ceará neste ano. O saldo de empregos dos pequenos negócios cearenses no acumulado de 2021 representa ainda um crescimento de mais de 100% em relação ao mesmo período de 2020.

Em todo o país, as micro e pequenas empresas foram responsáveis pela geração de 68,5% dos empregos criados em fevereiro deste ano, o que corresponde a um pouco mais de 275 mil vagas, mais do que o dobro dos postos de trabalho gerados pelas empresas de médio e grande porte, que foi de 101,8 mil.

No acumulado do ano, dos cerca de 611 mil empregos gerados no primeiro bimestre no país, 476,7 mil (72,26%) foram das micro e pequenas empresas, enquanto que as médias e grandes empresas criaram 134, 1 mil novas vagas. Apesar dos fortes impactos da pandemia nesse segmento, esse quantitativo é superior ao total de empregos gerados em 2020, quando foram criados 301,9 mil novos postos de trabalho, o que representa um aumento de mais de 102%.