Opinião

Oportunidade da cidade criativa

Artigo do superintendente do Sebrae Ceará, Joaquim Cartaxo, publicado na edição do dia 19 de dezembro do Jornal O Povo

Está em desenvolvimento o projeto que objetiva inserir Fortaleza na Rede de Cidades Criativas da Unesco. Nesse sentido, foi realizada recentemente a 2ª Jornada Iberoamericana de Design e Artesanato, promovida pelo Sebrae e Prefeitura de Fortaleza, que reuniu especialistas nacionais e internacionais na capital cearense para refletir sobre a relação entre design (inovação) e a produção artesanal (tradição).

O que isso representa? Integrar a Rede da Unesco significa participar do movimento global que reúne mais de 180 cidades de 72 países, que cooperam entre si e investem na cultura e na criatividade como fatores de estímulo ao desenvolvimento sustentável e duradouro. No Brasil, estão nessa rede: Salvador, Santos, Curitiba, Brasília, João Pessoa, Belém, Paraty e Florianópolis.

Na prática, representa também o compromisso de Fortaleza em consolidar um dos segmentos econômicos que mais ganham importância no século XXI, a economia criativa que se diferencia dos segmentos tradicionais pela abundância do seu principal ativo: a capacidade humana de criar, inovar, transpor ideias e sentimentos para um campo tangível. Mas, nem por isso, a economia criativa deixa de se relacionar com os segmentos mais tradicionais da economia.

Por outro lado, destacar a economia criativa é priorizar um segmento que no Brasil, de acordo com a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), gerou cerca de R$ 155,6 bilhões e respondeu por mais de 850 mil empregos formais em 2015.

A cidade criativa é também aquela que utiliza o seu potencial de inovação combinado com tradição para melhorar a vida das pessoas por meio da geração de emprego, oportunidades e renda. Segundo Charles Landry, criador do termo, é o lugar onde as pessoas se expressam, crescem e o poder de decisão e planejamento são compartilhados entre as cidadãs e cidadãos. Ou seja, uma cidade mais justa, próspera e participativa para todos os seus moradores.

Joaquim Cartaxo

Arquiteto urbanista e superintendente do Sebrae Ceará