Webinar

Superintendente do Sebrae participa de debate sobre novos negócios promovido pela AJE

O evento foi transmitido pelo canal da AJE Fortaleza no YouTube

O superintendente do Sebrae/CE,  Joaquim Cartaxo, participou nesta sexta-feira (31) do Webinar Cearense de Jovens Lideranças Empresariais, promovido pela AJE Fortaleza, que teve como tema Empreendedorismo social na ressignificação dos negócios, Colaboração e convergência para um novo modelo de negócio e relação com o cliente e Empreendedores de impacto. O seminário, que contou com programação nos dias 30 e 31, foi transmitido pelo canal da AJE Fortaleza no YouTube.

Na oportunidade, Cartaxo participou do painel Colaboração e convergência para um novo modelo de negócios, que também teve como debatedores o CEO do LIS -Laboratório de Inovação Social, Preto Zezé , o Sócio fundador Elephant e Winds for future, Igor Ary e Ronny Sudário, gerente de negócios estratégicos do Sesc/Senac CE e foi mediado pelo coordenador geral da AJE Fortaleza, Valdemir Alves.

Durante sua fala, Cartaxo destacou  os impactos gerados pela pandemia na sociedade e nos pequenos negócios. “O coronavírus trouxe mudanças nos hábitos de vida, de relacionamento, no trabalho e de consumo.  E os negócios, em especial as micro e pequenas empresas, também foram bastante afetados pelas restrições necessárias para conter o avanço da pandemia e pela redução do consumo”.

Por outro lado, segundo ele, a pandemia contribuiu para acelerar processos que se encontravam em curso, como a ampliação da cultura digital. “Em um prazo de 15 dias, o Sebrae/CE, por exemplo, teve que colocar em prática todo o projeto de transformação digital e passou a atender os clientes e a ofertar seus produtos e serviços de forma exclusivamente online, para que os nossos clientes não ficassem desassistidos em um momento de tamanha dificuldade para todos”.

O superintendente falou ainda que, apesar de ainda não ser possível prevê com exatidão qual serão os cenários de pós-pandemia, a única certeza é a necessidade das empresas inovarem constantemente. “A empresa que não inovar constantemente será atropelada pelo futuro. E eu não estou falando apenas de inovação tecnológica, as empresas podem inovar em outros aspectos, como na forma de atender os clientes”.

Cartaxo finalizou sua intervenção falando que os novos modelos de negócios precisarão refletir sobre dois grandes problemas enfrentados pela sociedade: a desigualdade social e a preservação do meio ambiente. E que o caminho para isso, segundo ele, passa por uma maior colaboração entre governos, empresas e a sociedade em geral.